Mercado de Trabalho

Carta de recomendação: o que é, como fazer e dicas

Por EAD UNISC   | 

 Tag: Mercado de Trabalho

Você precisa escrever ou entregar uma carta de recomendação e não sabe por onde começar? Neste artigo, vamos explicar tudo sobre esse documento, sua importância e como elaborá-lo. 

Atualmente, cada vez mais empresas e instituições de ensino solicitam carta de recomendação em seus processos seletivos. 

Uma pesquisa realizada pela consultoria SkillSurvey mostrou que 70% das organizações buscam referências profissionais de seus entrevistados. E a carta de recomendação pode ser um dos documentos requeridos na busca por referências.

Nesse sentido, entender o que é esse documento e como produzi-lo é essencial para profissionais de todas as áreas. Afinal, ele pode ser requisitado em qualquer momento da carreira, seja para um novo emprego ou desafio acadêmico.

Fique conosco e conheça tudo sobre a carta de recomendação! 

Confira:

O que é uma carta de recomendação?
Qual a importância da carta de recomendação?
Quem pode solicitar uma carta de recomendação?
Como pedir uma carta de recomendação?
Para quem pedir uma carta de recomendação?
O que não pode faltar na carta de recomendação?
4 dicas para a carta de recomendação
Conclusão

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

O que é uma carta de recomendação?

A carta de recomendação é um documento de referência que busca atestar a qualificação de um profissional. 

Esse documento deve ser redigido e assinado pelo antigo empregador, um superior, professor ou ex-colega de trabalho do profissional que está sendo recomendado. 

O objetivo da carta de recomendação é atestar as qualidades no trabalho ou acadêmicas do candidato de forma subjetiva, apontando seus pontos fortes. 

A carta de recomendação pode ser solicitada por setores de RH ou bancas de admissão em processos seletivos de emprego ou estudos.  

Esse documento é utilizado para complementar o currículo durante as seleções. 

Qual a importância da carta de recomendação?

Mesmo que não seja um documento obrigatório, se requisitada, a carta de recomendação tem papel decisivo para alcançar a vaga desejada. 

É por meio desse documento que a empresa ou instituição de ensino vai poder ter certeza das qualidades e habilidades do profissional, além de ter acesso às impressões que o candidato deixou em seu último empregador ou professores. 

Para entender essa lógica, pense em um produto. Se você comprar algo que nunca testou, provavelmente vai buscar depoimentos sobre esse produto. 

Se o depoimento foi negativo ou insatisfatório, é bem provável que você pense duas vezes antes de adquiri-lo. 

Esse raciocínio nos ajuda a compreender a importância e o peso que uma carta de recomendação tem no processo seletivo. 

Por isso, esse documento deve ser muito bem elaborado, sendo escrito por pessoas de confiança. Qualquer palavra ou frase mal colocada pode arruinar suas chances de conquistar a vaga dos sonhos.

Quem pode solicitar uma carta de recomendação?

O mais comum é que cartas de recomendação sejam solicitadas em processos seletivos profissionais e acadêmicos.  

Em relação às cartas de recomendação profissional, o habitual é que o RH da empresa solicite esse documento. 

Já no meio acadêmico, as cartas de recomendação podem ser solicitadas pelas bancas examinadoras em processo seletivos de mestrado, doutorado e intercâmbios.

Como pedir uma carta de recomendação?

como-pedir-uma-carta-de-recomendacao - aperto de mãos

A carta de recomendação costuma ser solicitada quando já se está em um processo seletivo que exige o documento. Ou seja, não é preciso solicitar para seus antigos gestores ou professores esse documento antes da hora. 

Se você já está em um processo seletivo ou tem planos de ingressar em um que exige o documento, é o momento de contatar seus antigos supervisores ou professores. 

Esse contato pode ser feito por e-mail, telefone ou presencialmente.

O mais importante é ser claro, objetivo e sincero sobre suas intenções, explicando o que você espera que tenha na carta de recomendação e a importância desse documento para sua trajetória profissional

Para quem pedir uma carta de recomendação?

Decidir para quem pedir uma carta de recomendação depende de uma série de fatores. 

Se estamos falando de uma vaga de emprego, o ideal é pedir a recomendação de um antigo superior direto ou de um ex-colega. Lembrando que a fala do superior tem muito mais peso do que a de um colega. 

Já para as oportunidades acadêmicas, o melhor é solicitar recomendações de professores que tenham relação com a área de estudos pretendida ou que já tenham trabalho com você em projetos de iniciação científica ou extensão universitária

A maioria das empresas e instituições de ensino dá liberdade para os candidatos escolherem quem escreverá a carta de recomendação. 

Dessa forma, é essencial contatar uma pessoa de confiança e que tenha o comprometimento necessário para exercer essa atividade. 

O que não pode faltar na carta de recomendação?

Mesmo que a carta de recomendação seja um documento subjetivo, existem algumas informações que não podem ficar de fora. Confira:

  • Local e data de emissão da carta
  • Histórico das competências e habilidades do candidato
  • Tempo de permanência na antiga empresa
  • Nome e CNPJ da empresa que está recomendando o profissional
  • Identificação da pessoa que recomenda o profissional, com dados de contato
  • Assinatura do responsável pelas informações declaradas, contendo o nível de relacionamento com o profissional (colega, supervisor, gerente ou gestor de RH)

Além disso, certifique-se de entregar um documento bem revisado, sem erros gramaticais ou com informações desnecessárias.

4 dicas para a carta de recomendação

dicas-carta-de-recomendacao -  mãos digitando

Agora que você já sabe o que é uma carta de recomendação e o que esse documento deve conter, separamos algumas dicas que podem ajudar nesse processo. Confira:

1 - Faça um modelo

Muitas vezes, os gestores ou professores podem ter pouco tempo disponível para redigir uma boa carta de recomendação, ou não sabem por onde começar.

Nesse caso, uma boa alternativa é enviar um modelo pronto, no qual será necessário apenas completar as informações. 

Dessa forma, você assegura que sua carta será produzida exatamente como precisa.

2 - Confira a formatação do documento

O ideal é que a carta seja digitada, afinal algumas caligrafias podem ser difíceis de entender. 

Além disso, procure utilizar fontes padrão, como Arial ou Times News Roman, e tamanho da letra 11 ou 12.

Dessa forma, você garante um documento bem apresentado e de fácil leitura. 

3 - Não exagere no tamanho

A carta de recomendação é um documento importante, e é comum querer colocar todas as habilidades e qualificações de um profissional.  

No entanto, é preciso estar atento para não exagerar e acabar redigindo uma carta muito extensa e cansativa de ler. 

O ideal é que o documento tenha, no máximo, uma página. 

4 - Evite que informações negativas estejam presentes

Tem algum curso que faltou fazer? Ou alguma habilidade que pode ser aperfeiçoada? A carta de recomendação não é lugar para colocar essas informações. 

Todos os profissionais podem ser melhores e estão em constante processo de aperfeiçoamento, mas na carta de recomendação evite trazer informações que possam ser negativas ou que demonstram despreparo. 

O mais importante é destacar os pontos fortes do candidato e como ele contribui para o crescimento da organização ou instituição de ensino em que atuou. 

Conclusão

Neste artigo, falamos sobre carta de recomendação, explicando o que é e a importância desse documento.  

Se você está participando de um processo seletivo e está precisando de mais dicas, confira nosso texto sobre como se sair bem em uma entrevista de emprego.

Desejamos sucesso em sua trajetória profissional!