Difícil encontrar quem não precise de algumas dicas de memorização.

Afinal, nos deparamos com tanta informação, que fica difícil se lembrar de tudo.

Não se sinta mal se é o seu caso. Há muita gente na mesma situação que você, o que é reflexo da atual Era Digital.

Um estudo feito pela Universidade de Berkeley mostrou que passamos quase 12 horas por dia consumindo informação, e lemos aproximadamente 100 mil palavras. 

É muito tempo e volume. Não tem cérebro que aguente, não é mesmo?

Fora isso, o estresse e a rotina intensa também prejudicam a nossa capacidade de armazenar dados e fatos.

Mas sempre há uma luz no fim do túnel. E, nesse caso, são as técnicas de memorização.

Neste artigo, você vai descobrir várias delas para aprimorar os seus estudos e ampliar o seu aprendizado.

Acompanhe todas as dicas!

Qual a melhor forma de estudar e memorizar?

Essa é uma questão bastante particular, mas podemos dar uma pista.

A verdade é que não há jeito melhor de estudar e memorizar do que usar métodos e técnicas.

Cada um pode encontrar seu próprio meio, mas aproveitar o que já existe e surte efeito não faz mal nenhum. Pelo contrário.

O que vale é testar e descobrir qual tem o melhor desempenho, agrada e resolve as suas necessidades.

Como treinar a mente para memorizar?

Você precisa saber que existem três tipos de aprendizado: o visual, o auditivo e o cinestésico. 

O primeiro usa as imagens. O segundo, os sons. E o terceiro, o tato.

Estimular esses sentidos é a maneira ideal de treinar a mente para memorizar.

Por isso, as principais técnicas de memorização baseiam-se em criar músicas, ler bastante e fazer desenhos. 

Técnicas de memorização

No tópico anterior, já antecipamos algumas estratégias utilizadas nas técnicas de memorização.

Mas, agora, você confere uma lista completa com diferentes métodos.

Ler mais de uma vez

Ao ler um conteúdo, você, certamente, é capaz de absorver as principais ideias acerca do tema. 

No entanto, para que o texto seja memorizado, de fato, é imprescindível que você leia algumas vezes.

Isso porque a nossa memória funciona com repetição. Quanto mais você ler um conteúdo, mais aprenderá.

Ensinar a um amigo

Transmitir conhecimento é uma bela atitude. 

Mas o aprendizado não é só do aluno. Quem ensina, também se desenvolve.

Ao explicar o que você sabe, a sua mente é estimulada para se lembrar. 

Isso, é claro, ajuda no processo de memorização.

Fazer e escutar gravações

Se você costuma ouvir podcasts, já sabe que os áudios são excelentes instrumentos de aprendizado.

Agora, já pensou em experimentar gravar seus próprios conteúdos? 

Pois é. Você pode usar um gravador para registrar o material dos seus estudos.

E, então, escutar as gravações quando estiver no transporte público, por exemplo.

Vale também gravar as aulas dos professores para escutar depois.

Seja qual for a sua escolha, o resultado é o mesmo, pois a memória auditiva pode ser uma grande aliada. 

Fazer resumos depois de entender o que estudou

Que os resumos são fundamentais na rotina de estudos, nem é preciso dizer.

Mas a dica aqui é fazê-los depois de ler o conteúdo, e não durante.

Isso porque, ao ler e escrever, a sua atenção é distribuída entre as duas atividades, e a sua concentração pode ficar prejudicada.

Assim, ao terminar de estudar um texto, pegue um papel e caneta e anote os pontos-chave do que acompanhou.

A intenção é assimilar melhor o conteúdo, mas o resumo também pode ajudá-lo a memorizar. 

Ao ler a sua anotação, procure se lembrar do texto original. 

kiyun-lee-3PILPw4O80w-unsplash

Praticar sempre

A velha máxima de que a prática leva à perfeição faz sentido aqui.

Não tem como fugir: a memória precisa ser exercitada.

Além de ler e reler um conteúdo, fazer gravações, ensinar a um amigo e desenvolver resumos, procure fazer exercícios. 

Eles, certamente, ajudarão a fixar o aprendizado.

Assistir a filmes e vídeos sobre o assunto

A tecnologia é uma verdadeira amiga dos estudos. 

Seja qual for o tema, é possível encontrar filmes ou vídeos sobre ele. 

Portanto, além de ler livros e apostilas, procure recorrer a outros formatos.

As imagens, por exemplo, são ótimas para ajudar o seu cérebro a fazer associações, o que contribui para a memorização.

Sem contar que aprender vendo filmes e vídeos é para lá de divertido, não é mesmo?

Organizar as suas anotações

Organizar as suas anotações não tem a ver só com a sistematização delas, mas sim, com a criatividade dos seus métodos.

Uma dica bastante eficaz é transformar os conteúdos escritos em desenhos ou, até mesmo, em histórias em quadrinhos.

Ao fazer isso, você repassa o assunto, e ainda descobre um jeito divertido de aprender e memorizar.

Fazer associações absurdas

Parece algo meio maluco, mas não é. 

Fazer associações pode ajudar, principalmente, se elas forem absurdas.

Imagine que você precisa decorar a ordem de vários objetos. 

Vamos simular aqui com apenas três: celular, fralda e escova de dentes.

Obviamente que é fácil gravar essa quantidade de itens, mas lembre-se que é só um exemplo para você aplicar em outras situações.

Então, para memorizá-los, você os relaciona de forma absurda. Assim:

“O celular toca e acorda o bebê. Ele, então, chora sem parar, e você decide verificar se a fralda está suja. Ao abri-la, uma surpresa: parece que você tinha esquecido uma escova de dentes dentro dela.”

Percebe que o enredo não faz muito sentido? 

Esse é o segredo para a sua mente se lembrar da história e dos elementos contidos nela. 

Transformar conceitos abstratos em histórias

Essa técnica é parecida com a anterior.

Ela também usa as associações, mas não há a necessidade de serem absurdas.

Além disso, o método é indicado para conceitos abstratos.

Ou seja, aquela sigla ou termos difíceis de serem assimilados.

Relacionar os conceitos com uma trajetória

Outra forma de memorizar informações é relacioná-las com uma trajetória, que pode ser um caminho percorrido, por exemplo.

Você pode posicionar mentalmente os itens que deseja lembrar em locais estratégicos da sua casa e, depois, criar um trajeto.

Dicas de memorização

Além das técnicas, tem mais algumas dicas de memorização que são muito eficientes. 

Vamos a elas!

Use lápis e papel

Faz quanto tempo que você não escreve à mão? 

Na era da tecnologia, é cada vez mais difícil usarmos lápis e papel. 

Mas, se a sua intenção é aprimorar a capacidade de memorização, é melhor retomar os velhos hábitos.

Ao fazer anotações manuscritas, seu cérebro vai gravando o desenho das palavras ou das figuras.

Então, deixe o computador e o celular um pouco de lado, ok?

Brinque de professor consigo mesmo

Essa dica pode ser bem divertida se você encarnar a personagem com determinação.

Coloque-se no lugar de um professor e dê aulas para si mesmo. 

Para que o exercício seja mais fácil de ser cumprido, vale ficar de frente para um espelho.

Verbalize todo o conteúdo como se estivesse ensinando de verdade. E, então, intercale com perguntas para treinar ainda mais seus conhecimentos.

O truque aqui é a oralidade. Ao falar em voz alta, é possível prestar mais atenção na lógica do seu raciocínio.

De quebra, você ainda se torna uma pessoa muito mais desenvolta.

mubariz-mehdizadeh-2awzIErSaG0-unsplash

Transforme tudo em música

Quem não gosta de música que atire a primeira pedra.

Difícil encontrar alguém que não seja apaixonado por essa arte, concorda?

Ela é repleta de benefícios e é uma ferramenta incrível para a memória.

Experimente só converter um texto em som. 

Crie uma melodia para o conteúdo, usando palavras que formam rimas e dão ritmo à música.

Você vai ver como é fácil decorar dessa forma.

Mantenha sua saúde em dia

Como ainda não tem uma pílula que carrega a sua bateria ou uma vacina que protege contra todas as doenças, o jeito é cuidar da saúde e do bem-estar, alimentando-se corretamente, fazendo exercícios e dormindo bem.

Isso tudo é fundamental para o seu cérebro funcionar corretamente. 

Descanse o seu cérebro

Ufa! Depois de tanta dica, está na hora de dar uma trégua para a mente, certo?

Quase. Falta pouco para acabar este artigo e, depois, você já pode descansar.

Lembre-se de fazer isso sempre: estabeleça intervalos entre os estudos para recuperar o fôlego. 

Conclusão

O artigo chegou ao fim. Que tal, então, encerrá-lo testando a sua memória?

Vamos ver se você lembra: quais foram as técnicas de memorização apresentadas ao longo texto?

Não decorou? Então é melhor voltar e ler de novo. Assim, você já pratica uma das dicas.

A verdade é que, embora os métodos sejam eficazes, eles exigem treino e adaptação.

Ou seja, não é de uma hora para outra que você vai sair memorizando tudo.

Mas isso não é motivo para desistir, viu? 

Vale muito a pena testar todas as técnicas e insistir naquelas que você mais gostou. 

Sem dúvidas, elas vão ajudar muito na sua rotina de estudos.

E, se quiser aprender mais formas de melhorar a sua performance, você pode ler outros artigos do nosso blog.

Tem este que dá dicas para encontrar motivação para estudar, e este aqui, que ensina como administrar o tempo.

Para quem precisa de uma força para montar a planilha de estudos, também tem conteúdo

E sobre estudo intercalado? Conhece essa estratégia? Descubra no artigo.

Investir em educação é sempre uma excelente ideia. 

E na hora de buscar uma instituição de ensino superior qualificada, lembre-se da UNISC. 

A Universidade de Santa Cruz do Sul tem todos os cursos reconhecidos com nota máxima do MEC. 

Conheça as formações disponíveis!

Gostou do artigo sobre dicas de memorização? 

Então, deixe a sua opinião nos comentários, e aproveite também para compartilhar o conteúdo em suas redes sociais!

Inscreva-se no nosso Blog

blog ead unisc
Cursos grátis

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT